As doenças transmitidas pelo gato

Existem doenças que podem ser transmitidas do animal para o homem, sendo os gatos, um desses animais. Infelizmente há doenças que podem causar danos, não dizemos isto com o intuito de alarmar, sim para que todos saibam a realidade, saiba o que nos custa esta informação. Mas como diz o ditado é melhor prevenir do que remediar.

Os felinos produzem uma proteína, a glicoproteína fel d1, que está presente na saliva e no pelo. Esta substância desencadeia uma série de reações alérgicas, como espirrar, erupções cutâneas, irritação das vias respiratórias e o pior, a asma, a quem sofre de alergia para com os gatos. O único gato que não produz esta proteína é o gato Siberiano.

Há também nos gatos uma doença parasitária que é a toxoplasmose, que é provocada por um protozoário o toxoplasma gondii que infeta os felinos que comem aves, ratos ou carne contaminada. Os gatos são os hospedeiros desta doença sendo a sua transmissão feita pelas fezes, para as pessoas. As mulheres em fase de gestação deveram ter principal cuidado com os gatos durante esta fase, visto que a gravidez poderá ser colocada em risco, caso o gato tenha este tipo de bactéria ativa, mas você pode controlar essa doença, pois ele só começa a liberar os ovos do toxoplasma e só começam a ser nefastos depois de algumas horas. Evite brincar com os gatos durante a gravidez e evite dar-lhes carne crua.

Outra doença que é transmitida pelo gato e que é altamente contagiosa é a Dermatomicose que é muito conhecida como “Tinha”, é uma infeção cutânea provocada por fungos parasitas. Uma vez contaminado pode transmitir aos humanos, não apenas no contacto direto, mas através do manuseamento de coberto, mantas, tapetes, ou onde eles costumam se deitar. Essa doença manifesta-se na pele das pessoas, principalmente na zona de mais contacto com o gato que geralmente é as mãos o rosto e os braços. Essa infeção começa com manchas vermelhas, e espalha-se rapidamente, devendo ser tratada o mais rápido possível. Saiba, portanto, que esta doença é mais frequente em gatos persas e siameses e angorás.

A sarna Sarcóptica, apesar de infectar mais os cães, o gato não fica de fora, esta é uma dermatose parasitária causada pelo ácaro Sarcoptes scabiei, que é altamente contagiosa, esta infecção pode ser transmitida de animal para animal, esta sarna é causada pela má higiene, ou locais mal limpos, ou locais que já tiveram animais infectados. A sarna sarcóptica manifesta-se na pele através de crostas que levam a perda do pêlo e a um cheiro desagradável, ou seja, (mau cheiro), e como da muita coceira, torna a situação ainda pior, causando feridas bastante feias. É preciso isolar o animal, e o tratamento deve ser feito com luvas e roupas descartáveis.

Saiba, portanto que os gatos são animais que transmite sérias doenças, e apressar de ter citado algumas, ainda não parei, e continuando a falar e a mostrar o que você esta levando para casa, é necessário também falar de uma micose subcutânea, mais vulgarmente a esporotricose e a sua origem vem do fungo Sporothrix schenckii. Que é presente no solo, e está também em várias plantas e madeiras, que pode facilmente picar o animal, e o resultado é nódulos e pápulas inflamadas, que podem ficar na superfície da pele, e cicatriza por se só. Às vezes elas podem causar feridas traumáticas e profundas, atingindo a além da pele, os gânglios, ossos e órgãos internos. Saiba por que a esporotricose é contagiosa, portanto, os gatos devem ser tratados com luvas até estarem completamente curados.

Já o Toxocariose é causado pelo parasita Toxocara. As larvas são libertadas e crescem no intestino até se transformarem em vermes adultos. E aproximadamente, 40 dias depois, o gato começa a eliminar milhares de ovos através das fezes, e é daí que surge a contaminação para as pessoas. Os gatos são contaminados devido às suas saídas, passeios em lugares que nem mesmo sabemos onde andou. Saiba por tanto que as crianças são as mais atingidas, devido as suas brincadeiras pelo chão, e por levarem objectos à boca. Esta contaminação é de arrepiar, pois ela só se manifesta quando a criança já está adulta.
Elas ficam como larvas, e quando adulto os médicos chamam de síndrome de larva Migrans visceral.

Estas larvas entram no sangue e infiltram-se em vários órgãos, e ali ficam, dando origem ao aparecimento de granulomas parasitários, infeções alérgicas, sintomas como febre intermitente, a diminuição ou aumento de apetite, dores musculares, dor no abdómen, tosse, anemia ou lesões oculares. Saiba, porém que este parasita, só atinge 10% dos gatos adultos, e 25% dos gatos com menos de três messes de vida. Saiba também que esta infeção que os gatos apanham através do parasita.

A turbaefoeme, pode entrar no organismo do gato através da placenta, da pele, ingerindo matéria orgânica com restos fecais de animais infetados ou através da amamentação, se sua mãe também estiver infetada. Esta doença é mais propícia em zonas de praia ou em terrenos arenosos, onde os gatos andam livremente. Esta doença quando manifestada nos gatos, dá-se um endurecimento sua pele, principalmente nas áreas do corpo que tem mais contacto com o solo, tosse rouca, apatia, fadiga, palidez das mucosas, diarreia, perda de peso, vómitos esporádicos ou atraso no crescimento. Esta doença quando transmite para as pessoas, é quando o solo esta infetado, ou a areia em que o gato transmitiu a mesma doença. Ela se manifesta nas pessoas na pele, normalmente no pé e as mãos. Ver video

Autor: Waldiney Melo